Jejum intermitente: entenda se funciona em casos de obesidade


COMPARTILHE AGORA MESMO
Avalie este post

Cada vez mais popularizado, o jejum intermitente tem se tornado uma febre entre as pessoas que desejam perder peso. O método de emagrecimento ganhou expressiva notoriedade após diversos famosos declararem publicamente que fazem uso desse artifício em suas dietas diárias de perda de peso.

Por assim ser, questões sobre a eficácia do método empregado surgem principalmente no tocante às pessoas que sofrem de sobrepeso ou obesidade. Assim, necessitando de respostas acerca do jejum intermitente.

Primeiramente, antes de falarmos sobre os resultados que podem ser alcançados com o método, é importante que você saiba do que se trata o tão falado jejum intermitente. Nada mais é que um artifício utilizado para quem deseja perder peso, que consiste em se abster de algumas refeições durante o dia. O jejum possui algumas variações que são de acordo com o período em que fica sem se alimentar, período esse que pode chegar até 24 horas.

Outra informação importante é que antes mesmo de iniciar esse tipo de jejum, é necessário saber os benefícios ou riscos oferecidos ao organismo. Essas informações você pode conseguir com ajuda médica ou de um profissional da área.

jejum intermitente

Existem estudos sobre a aplicação do jejum intermitente para pessoas com obesidade?

Embora muito popularizado, principalmente entre as pessoas que desejam perder peso, o jejum intermitente ainda possui poucos estudos sobre seus efeitos no organismo, seja ele obeso ou não. Ainda que esse tipo de jejum seja uma prática antiga, principalmente entre os religiosos, muitas informações e presunções auferidas ao método são de origem observacional, nada científico.

Por assim ser, muitos dos benefícios ao organismo trazidos pelo jejum intermitente podem ser considerados concepções que surgiram a partir da observação.

Entretanto, o método já possui estudos, que comprovam ou desmentem alguns dos benefícios em realizar o jejum intermitente. Da mesma forma, que os estudos científicos provam algumas das alterações que ocorrem no organismo devido à abstinência de comida.

No tocante a obesidade, ainda pouco se fala em jejum intermitente como opção para a perda de peso. Mesmo que o método mostre alguns benefícios, adotar o artifício para tratar a obesidade é algo que deve ser observado com muita cautela.

O mesmo benefício pode ser visto em quem faz jejum deforma mais frequente?

Você viu anteriormente nós falarmos que existem poucos estudos sobre o jejum intermitente. E de fato existem poucos. As pesquisas realizadas foram incapazes de evidenciar a correlação dos benefícios do jejum à frequência em que ele é feito.

Um fato interessante sobre isso, é que pessoas que se autodeclaram praticantes do jejum intermitente tem menor chance de desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares. Porém, esses estudos mostram benefícios das pessoas que praticam o jejum somente uma vez no mês. A dificuldade é entender se os mesmos benefícios ou resultados poderiam ser alcançados por alguém que realiza o mesmo método mais de uma vez por semana.

Embora os estudos da correlação entre frequência e benefícios ainda sejam poucos, já existem pesquisas entre os tipos de jejum, buscando assim evidenciar o mais eficaz no quesito: perda peso. Em uma dessas pesquisas, foram relacionados dois tipos do jejum intermitente:

  • Jejum realizado em dias alternados: essa forma consiste em reduzida a quantidade de calorias ingeridas no dia, a um percentual de 25%. Com o dia subsequente disponível para comer à vontade;
  • Jejum periódico:esse tipo consiste em jejuar por uma ou duas vezes na semana, e seguir a rotina de alimentação normalmente nos próximos dias.

Ao se comparar as duas formas do jejum intermitente, obtém-se o resultado da maior eficácia do jejum realizado em dias alternados. Porém, é importante evidenciar que em ambos os métodos empregados, foi possível perceber a perda de peso, a diferença está na quantidade de calorias perdidas durante o processo. Enquanto no jejum alternado se perdia uma média de 0,75 Kg por semana, no jejum periódico perdia-se uma média de 0,25 Kg por semana.

Assim, pode-se deduzir que o jejum alternado, aquele que é realizado com mais frequência, proporciona maior resultado na perda de peso. Porém, é válido lembrar que os estudos não possuem um embasamento científico que comprove o fato.

Benefícios do jejum intermitente

Além de considerável redução dos triglicerídeos no organismo, outros benefícios podem ser observados com a prática do jejum intermitente, confira alguns deles:

  • Perceptível diminuição da pressão arterial, com uma variação de aproximadamente 3% a 8% e de 6% a 10%. Esses resultados foram percebidos em praticantes do jejum que tiveram uma perda de pelo menos 6% do peso corporal.
  • Outro benefício percebido, foi a melhora da resistência do organismo à insulina, assim melhorando a sua atuação no organismo dos praticantes do jejum intermitente.

É importante lembrar, que embora esses benefícios tenham sido alcançados, existem outras áreas que mostraram resultados variáveis, como: as taxas de colesterol e glicemia.

Da mesma forma, é importante mostrar que os estudos que foram realizados acerca do jejum intermitente, ainda são muito divergentes entre si, com resultados e benefícios diferentes encontrados. Da mesma forma, que não existe um estudo conclusivo que comprove os riscos que os praticantes do método estão sujeitos.

Dessa forma, antes de iniciar o jejum, é preferível que você busque ajuda médica para conhecer um pouco mais sobre esse artifício de emagrecimento e seus possíveis efeitos colaterais no organismo. Isso é suma importância, especialmente para aqueles que têm alguma carência nutricional.

Deixe uma resposta